Lendo e ouvindo a música

Desenhos de Jorge Queiroz da Silva

domingo, 30 de maio de 2010

O prólogo de ser homem

Diz a história e dizem os antigos, que a analogia de um verdadeiro homem tem cinco ítens que jamais deverão cair no esquecimento, ou sejam: 1. Honrar pai e mãe; 2. Construir uma casa; 3. Plantar uma árvore; 4. Escrever um livro; 5. Gerar um filho Para mim,tudo isso não passa de pura ilusão. Vou estabelecer um novo critério de discordância, que, por certo, afirmará que o prólogo foi constituído no início do mundo, quando a vida era simplória e quando o homem era um instrumento intimamente ligado ao seu trabalho. Trabalho esse, relacionado à sua adaptação à vida na terra, numa época em que as relações de habitantes por metro quadrado, jamais iriam influir na criação de um novo item na regra internacional desse atestado. Por tudo isso, me arrisco a analisar item por item, com as configurações da mais atual e real forma de vida dos homens do século vinte. Pensemos juntos e sigamos para a análise de cada item dentro dos conceitos verdadeiros que influem na vida do homem de hoje.No primeiro deles, “honrar pai e mãe”, vejam os absurdos que podemos incluir, frutos do nosso novo modelo de vida, que nos mostra que o crescimento nos traz uma nova adaptação, vejamos: -aceitação total dos filhos, para que sejamos realmente pais 1. Sou filho legitímo? 2. Sou filho bastardo? 3. Sou filho adotivo? 4. Sou resultado de DNA? 5. Sou resultado de tutela? 6. Sou resultado de estupro? 7. Sou filho abandonado? 8. Sou filho órfão? 9. Sou filho da pílula de farinha? 10.Sou adotivo do tráfico? 11.Sou filho de aidéticos? 12.Sou filho deserdado? 13.Sou filho alienado? finalmente, quem sou eu? Ajude-me a me encontrar, pois necessito, urgentemente, “honrar pai e mãe”.O segundo nos diz: “construir uma casa”. Mais uma vez temos que questionar: 1. Tenho terra? 2. Tenho herança? 3. Tenho poupança? 4. Tenho FGTS? 5. Tenho crédito bancário? 6. Tenho saldo médio? 7. Tenho informação SFH? 8. Tenho renda familiar? 9. Tenho emprego vitalício? 10. Tenho certidão negativa? 11.Tenho garantias? 12.Tenho noção de economia? 13.Tenho crença no governo? 14.Tenho uso capião? l5.Tenho ligações com o MST? quanta inclusão... e ainda continuamos achando que o prólogo de ser homem continua correto... Se continuarmos questionando, ainda encontraremos inúmeros dados que teriam que ser acrescidos a esta afirmação.Em seguida, vamos analisar o item que nos fala diretamente à vida, “o ato de plantar uma árvore”, embora ainda assim, existam milhões de pessoas que dele não participaram e nunca se interessaram. Afirmo que se cada brasileiro tivesse o cuidado de assim proceder, teríamos o maior celeiro do mundo, com garantias de saúde e vida para muitas e muitas gerações, não só do nosso Continente, como também de todos os outros mais carentes, como a Ásia e a África. Verifiquemos então, mostrando a profundidade de “plantar uma árvore”: 1. Saber porque plantar; 2. Saber aonde plantar; 3. Saber a época certa para plantar; 4. Saber os benefícios do plantar; 5. Saber o seu uso e aplicação; 6. Saber dos cuidados; 7. Saber do bem-estar ao meio ambiente; 8. Saber da terra o benefício; 9. Saber do seu poder de cura; 10.Saber divulgar o valor; 11.Saber a importância do re-florestar.Estamos editando vida, nas mais diferentes formas, mas o maior absurdo é a afirmação de que todo o homem deve escrever um livro, eu particularmente não concordo com esta afirmativa, porque cada homem desde o dia do seu nascimento já iniciou a escrita do seu livro, vejamos então: 1. Nasceu de uma junção de vidas; 2. Cresceu de um produto de vidas; 3. Se educou das informações da vida; 4. Trabalhou por interesse de vida; 5. Sua primeira página foi a certidão de nascimento; 6. Sua última página, sua certidão de óbito 7. Foi alfabetizado ?Finalmente concluindo, vamos nos defrontar,com a afirmação de que todo homem deve ter um filho. Mais uma vez discordo profundamente, pois para mim, ter um filho, não é fazer um filho. Conheço várias pessoas que não fizeram um filho, mas sempre estiveram à frente de todas as causas de formação de filhos de outras pessoas. 1. Ser mãe de aluguel; 2. Ser pai como prova de hombridade; 3. Desejar um herdeiro; 4. Aumentar o salário-família; 5. Provar ao amigo que é “macho”; 6. Vingar-se das surras do papai no filho; 7. Fazer do filho aquele “doutor” 8. Ou querer provar que o seu “gen” é especial? Depois de todas estas afirmações, eu continuo dizendo que ser homem não será simplesmente seguir o prólogo.A variação constante na forma de vida, modifica a cada instante êste conceito, e se eu arriscasse pedir a opinião de outras pessoas em relação às questões acima, eu chegaria a conclusão de que este tema se tornaria um labirinto. E teríamos a certeza de que um minuto de vida hoje, representa mais do que centenas de minutos dos idos passados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário