Lendo e ouvindo a música

Desenhos de Jorge Queiroz da Silva

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Automóvel x homem

Está na hora de uma revisão geral, já que começou um novo ano e o nosso velocímetro virou. Precisamos ter cuidado, vamos devagar e com toda a paciência. Lembremos que os bons automóveis são aqueles bem cuidados pelos seus donos e mesmo assim é muito difícil chegarem a cem mil quilômetros. Mesmo que apliquemos a melhor perícia, são poucos aqueles, que atingem esta marca sem um arranhão sequer e sempre precisam de um reparo aqui ou ali. E se usarmos um método de comparação, a vida da gente tem alguma coisa a ver com a vida dos automóveis. Se considerarmos que o motor de um carro, se seccionado ponto a ponto, é muito parecido com a nossa estrutura física e mental, necessitaremos constantemente estar ligados em nossas revisões médicas que nos darão um certificado de garantia no nosso dia a dia. Que pena! Porque poucos somos a ter direito à medicina preventiva, num país sem saúde. Temos um coração, que trabalha abrindo e fechando válvulas e distribuindo o nosso sangue venoso e o nosso sangue arterial. Por necessidade, tem que funcionar com toda a sua liberdade e com a pressão normalizada, sem nenhum coágulo, senão, a circulação sanguínea vai para o brejo. Isto, com certeza, vai afetar o nosso bem estar geral e irá pesar em nossas caminhadas. O carro também faz caminhadas e tem o seu coração. Ou melhor dizendo, o seu carburador que recebe a gasolina pura e faz as injeções necessárias aos comandos das explosões do seu motor, que acionam o seu eixo comando de válvulas e que também não podem estar congestionadas por nenhuma impureza. E comparando, vamos verificar que nós também temos o nosso filtro central, que é representado pelo nosso aparelho renal, responsável direto pela limpeza do nosso sangue, o combustível que move e transporta as vitaminas, distribuindo os aditivos necessários a todo o nosso organismo. O carro também possui um filtro, que tem a mesma função, e que libera um ar puro, necessário a uma boa combustão, para o funcionamento equilibrado, de todas as outras partes mecânicas, responsáveis pelo seu melhor desempenho. Sabemos que um organismo, seja ele de ordem humana ou de ordem mecânica, como o automóvel, tem que estar limpo, puro, bem aditivado e bem lubrificado e só assim vamos encontrar condições de alcançarmos a virada do velocímetro. Mas as coisas estão muito mudadas. Para os carros, lançaram determinados aditivos para aumentarem o seu desempenho; coisa para os jovens motoristas, que normalmente dizem: o meu carro é uma fera, está totalmente envenenado. Estes jovens esquecem que o mau uso, o excesso, só traz a imprudência, e põe em risco vidas, que por certo não irão fazer a virada do velocímetro. Como se não bastasse, além do envenenamento químico que sofrem os automóveis, ficamos por demais preocupados, com o uso indiscriminado da bebida, da maconha e da cocaína pelo homem. Vamos estar atentos, darmos uma olhada nos nossos faróis, ver se as nossas rodas precisam de reparos, se as nossas setas estão funcionando bem, se o nosso cano de descarga não está caindo, se os limpadores de brisa estão funcionando com perfeição, se a água do nosso radiador está sendo trocada corretamente, e se nosso eixo de comando central não está empenado. Depois disso, com certeza, vamos ter todas as garantias de que estaremos preparados para a virada do nosso velocímetro na entrada de cada ano.

terça-feira, 28 de abril de 2009

A vida injusta de um povo credor e merecedor

Basta de indecisões, que tornam a vida de um povo otimista ao extremo, em um perdedor constante de uma nação! Nação essa, politicamente mal controlada e mal dirigida, embora traga todas as condições de uma vida, que poderia ser progressista, real e verdadeira, se pudesse reunir somente verdades, com realizações, com resultados, e finalmente, com distribuição e divisão mais justa de uma renda. Renda essa que gerasse orgulho em toda a nossa classe produtiva e que aumentasse a nossa grandeza de país emergente e otimista. Que bom seria, se os nossos dirigentes não alimentassem as medidas que sempre se repetem, nas mudanças de governo, e que fazem com que as injustiças se abracem e comemorem a formação de um bloco de resistências, que impedem as mudanças, que se clamam necessárias. Um povo, não pode continuar esperando eternamente pelas coisas que não acontecem. A nossa política pública sempre foi mentirosa para aqueles que as elegeram, e as sustentaram. Perguntem a qualquer brasileiro menos informado, se ele por um acaso, sabe o que é “superavit primário”, perguntem também a ele se sabe para que serve a taxa do” selic “,e ainda, se ele sabe de onde vem os valores nominais dos nossos títulos, da nossa dívida pública, seja ela, interna ou externa, e perguntem ainda, se a realização dos lucros e prejuízos do balanço do orçamento brasileiro são explicados, no dia a dia , ao nosso povo tão trabalhador e ordeiro. País, não é empresa comercial, que obrigatoriamente tenha que dar lucro, e assim sendo, a palavra “superavit” pode estar sendo mal empregada no economês brasileiro. Hoje temos o nosso presidente, que era líder de uma classe de trabalhadores privilegiados, e que dirigia um sindicato da metalurgia, mas que deveria, por ter sido um “candango” como ele próprio diz, estar sim, ligado a uma organização populista, e que somente se preocupasse, única e exclusivamente, com o nosso trabalho no campo agropecuário. No entanto, ele anda hoje, pregando o nosso crescimento em suas viagens internacionais, aos países de primeiro mundo. Com muita justiça esta pregação se faz, e a melhoria da vida do nosso trabalhador do campo, que sempre foi um eterno desamparado, e que nunca pode provar, que plantar feijão seria tão importante, ou mais, que desenvolver a fabricação de carros, populares ou de luxo, que infelizmente em nosso país, não possuem as estradas preparadas para transitarem.... haja vista, os últimos acontecimentos de acidentes em nossas rodovias federais, que causam um enorme prejuízo, e ainda matam o nosso povo. DIGNISSIMO Presidente , só cresceremos, na agropecuária, na energia , na siderurgia, em navegação e na industrialização, ou seja, em qualquer atividade, se com certeza, tivermos a nossa infra estrutura protegida e a nossa .logística em perfeita sintonia com o nosso crescimento. Chamo a atenção de que o BRASIL, tem usado o plano básico da economia no sentido inverso, pois economia se faz com “capital e trabalho” e não, como vem sendo feito pelo nosso governo, cujo o básico da economia tem sido ‘ o trabalho do capital na mão de terceiros, o que torna difícil se ter a segurança, necessária de negócios de um fecho financeiro tão vultoso, que envolvem riscos nacionais e internacionais.

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Samba em Berlim !

A chegada da “Coca Cola” no Brasil, aconteceu na década de 42. Para a divulgação daquele novo refrigerante, iniciaram a distribuição nas escolas. Lembro-me bem que traziam carretas carregadas, pelo marketing do até então desconhecido refrigerante, que ameaçava a liderança do nosso único e tão saboroso “guaraná”. Por trás desta distribuição gratuita, eles exibiam filmes promocionais, mostrando a força do refrigerante em todo o mundo. Naquele momento, por certo, o Brasil seria a nova porta de entrada, de um grande mercado de consumo, a América Latina. Forçavam então os nossos professores a exibir o tal filme, em troca da distribuição gratuita. O filme publicitário contava todo o processo de fabricação daquela bebida, que nos era servida totalmente “quente”. Daquela forma, quente, era uma “ coisa horrível” e isto se dava porque ainda não existiam as atuais “super geladeiras” e os “freezers”. Mas mesmo assim, diante daquela imposição publicitária, a nossa infância tentou ser resistente, àquele lançamento. Éramos totalmente fiéis ao produto brasileiro, que até hoje, ainda é um líder de mercado, o nosso sempre maravilhoso “guaraná champanhe”. Essa fidelidade , instintivamente, nos levava a recusar a oferta do refrigerante. Nossa repulsa natural, nos tornava agressivos, quando recebíamos uma garrafa, ainda quente, para fazermos uma prova. Simplesmente corríamos, ao primeiro ralo de esgoto, e despejávamos o conteúdo da garrafa e o classificávamos de refrigerante de “sabor purgativo”. Até hoje, eu não consigo entender, como este refrigerante, conseguiu se firmar aqui no Brasil! Eu afirmo, que não foi por conta da minha geração, que ele conquistou o nosso mercado consumidor. Estou certo de que tudo fizemos, para evitar, que este “xarope”, como chamavam, chegasse a liderar, as nossas pesquisas de vendas. Para nós, naquele tempo, ele era igual as pizzas. Nunca me esqueço de que por ocasião da Segunda Guerra mundial, o Exército Americano, que já se utilizava da Coca Cola, como o seu principal refrigerante, para alimentação da sua tropa, e que também, participava junto ao Brasil, durante a campanha brasileira na guerra da Itália, passou a distribui-lo aos soldados brasileiros. Foi aí que nasceu o drinque chamado “Samba em Berlim”, que nada mais era, uma criatividade dos nossos soldados, que misturavam o refrigerante à velha “cachaça”, sempre presente no farnel das mochilas dos nossos soldados, por não suportarem o seu sabor amargo. Aquela mistura, provocava uma reação qualquer e eles passavam a ter dupla coragem. No decorrer da guerra, começaram a ser citados pelas tropas aliadas, como sendo os guerreiros de maior sangue frio, em todas as batalhas, inclusive na de “Montese”. Com isso o “samba em Berlim” ficou amplamente conhecido pelo mundo.

Oração do Terceiro Milênio e do perdão!

Senhor meu Pai, me perdoe por não ter seguido, sempre, os passos determinados por ti e de ter vacilado em alguns momentos e de não ter respeitado os teus bons ensinamentos... Senhor meu Pai, me perdoe por não ter conseguido sempre, seguir os teus preceitos de vida, aqueles que por ti, foram idealizados, e que nem sequer, por mim, foram observados em determinadas horas de minha vida... Nem sequer por mim, foram , ressaltados.... Ainda assim, Senhor meu Pai, reconheço ter recebido a tua luz divina, as tuas sublimadas indicações e os teus aconselhamentos, sempre me fizeram reconhecer que todas as boas coisas que se manifestam, hoje, em minha vida, se misturam na tua predileção e no teu acompanhamento. E assim, na tua devoção.... Senhor meu Pai, peço que me perdoe... Porque sei, que destes ao homem, o poder de decidir, mesmo que errado fosse... Porque sei, que destes ao homem, o poder de construir, mesmo que sem alicerces... E porque sei, também, que destes, ao homem, a liberdade para criar, mesmo que desnecessária e até as vezes, sem motivos... Mas tu, na tua grandeza e na reflexão da tua luz, não deixastes para esse homem, com certeza, o poder de julgar.... Pois o julgamento do vosso Filho, quando por aqui passou, comprometeu essa humanidade e daqui o expulsou... Mas a salvação... deverá ser do vosso....Juízo final... E por isto, eu te suplico , que instrua o homem, do novo milênio... Oh! meu Pai , e meu bondoso Deus! Neste terceiro milênio, instrua a esse homem como saber pensar , e aprender a julgar.... Pois só assim, a tua criação, chegará a Eternidade !!! E finalmente o homem... será imortal !!!