Lendo e ouvindo a música

Desenhos de Jorge Queiroz da Silva

sábado, 30 de outubro de 2010

VOCE SABE O QUE É SUPERÁVIT PRIMÁRIO, DE QUE TANTO FALAM?


Eu garanto a vocês que já perturbei muito minha paciente mulher com esse assunto.
E também já briguei muito com esse pobre coitado “SUPERÁVIT PRIMÁRIO”.
Desde a década de setenta esse monstro aterrorizador da economia diária me assusta.
Ele é o normal dentro de um resultado de balanço econômico, que com certeza, ainda acontecerá em nossas vidas.
Diante de mim, ele sempre assim se definiu muito bem, pois ele é aquele sujeito “durango kid”.
Para representarmos muito bem esse termo, sempre muito usado pelos economistas no nosso Brasil, eu garanto e afirmo a vocês, que o superávit é simplesmente aquele momento em que nós metemos a mão no nosso bolso e verificamos que estamos sem o dinheiro necessário para fazer o pagamento da nossa conta diante do caixa do supermercado.
Mas devemos confessar que o superávit do Brasil de hoje está totalmente “maquiado”, não chegando a ser um “conto do vigário”.
Hoje, ainda não se pode fazer contas, almejando utilizar o lucro dos papéis das commodities do número de barris de petróleo extraidos do nosso pré sal, ainda inexistente, que estamos vendendo no exterior.
A meu ver, isso configura uma ação eleitoreira, pois estamos ainda dando início ao duro processamento da extração de petróleo no fundo do nosso litoral, lá nas profundas camadas do nosso pré-sal.
Somos credores desse dinheiro, sim!
E na certa, estão fazendo sòmente uma grande propaganda eleitoral.
Quero justificar aqui a minha revolta, pois sou extremamente verdadeiro e lembro bem do dia em que o grupo em que eu trabalhava e se instalava aqui no Brasil, preparou um balanço para dar garantias aos nossos Bancos, pois pelas leis do capital externo, havia sido proibido trazer dinheiro do exterior.
Dirigi-me aos Bancos levantar o dinheiro, munido de um Balanço da Empresa que já exibia em suas contas, o lançamento de um valor de ativo fixo, referente aos caríssimos maquinários que embora já instalados, ainda não estavam funcionando e que cobriam dentro do nosso superávit primário, um prejuízo de cento e setenta milhões de dólares.
Vejam então vocês que aquela figuração, embora parecesse um premeditado golpe para esconder um prejuízo, não o era, haja vista que tínhamos o resultado do equipamento já instalado.
No entanto, o produto final, o cimento a ser fabricado, só iria acontecer no ano seguinte e tivemos que provar através de documentos, que os equipamentos estavam fisicamente na fábrica.
Lembrando desse fato ocorrido na minha gestão, naquela fábrica, parabenizo o Ministro Mantega e o considero uma cabeça valiosa.
Não o considero mentiroso, apenas o classifico de muito apressado.
Só acho que esse número futuro do pré-sal, não deveria ser usado nesse momento de eleição.
(Jorge Queiroz 30/10/10)
Fonte da imagem:epocanegocios.globo.com

A nova arca de noé


Vai ser muito difícil toda a população do mundo estar envolvida com os novos critérios de recadastramento de vida para o novo milênio . Os escritórios dos Céus estão super-agitados e a super-população da segunda era, vem causando sérios problemas . Como os princípios básicos da Terra, desde o início, foram de proceder a reencarnação após decorridos trinta anos, fez este prazo deixar de funcionar na prática. O mundo desde o seu ínício , proporcionou a alguns milhões de seus habitantes a capacidade de reencarnar por mais de 70 vezes, assim , gerando sérios transtornos na identificação do curriculum de cada alma cadastrada nos arquivos celestiais. Uma vez que, conforme o grau de aprendizado de cada ser humano, os arquivos divinos ficam sujeitos à avaliações para futuras seleções, se complicam de certa maneira, pois hoje em dia, contamos na Terra com uma divisão já acima de 200 países e diversos dialetos e línguas. Por este motivo, a volta à Terra tem sido complicada e as diferenças se fazem mais presentes. Fica sendo muito comum hoje em dia, ouvirmos pessoas falarem coisas deste tipo: - este cara é um animal! - olha só aquele monstro, como ele come desse jeito! - que sujeito mais burro! - Vamos então a partir daí ,fazer uma análise mais racional e então chegar a conclusão de que o homem na Terra complica a sua própria vida, deixando em alguns momentos, a impressão nitída de nunca ter sido um produto de Deus. A verdade, no entanto, nunca desaparece ... Ela flutua e ficará sempre acima de todo e qualquer conceito. Vamos então , esbarrar no cadastramento do novo milênio. As novas fichas de inscrição nos serão enviadas no final do ano e pela previsão das suas características , o povo brasileiro, deverá ser privatizado por outras raças. Será o grande leilão do milênio. A bolsa do Universo , fará grandes pregões. Vamos ser classificados em lotes dentro de cada especialidade. E para melhor orientação , nos serão entregues formulários, onde relacionaremos as nossas habilidades de seres humanos. Como exemplo, ressaltaremos, os tipos de cadastramento que configurarão todas as nossas habilidades: Jogador de futebol , Dançarina de tchan, Cantor de pagode, Presidente da República, Entrevistador de tv, Procurador do INSS, Anão do orçamento, etc, etc. E daí para frente , todo o sistema da reencarnação estará integrado para reformulação do novo tipo de habitante da Terra Brasilís. Uma nova chance ao maior Território de adaptação de vida para um novo tipo de brasileiro. Será muito divertido. Vamos apreciar o alto interesse de pessoas de outras origens, que ao chegarem ao recadastramento da volta à Terra e consultarem os arquivos para formular o seu pedido, vão tomar um grande susto. Realmente, será muito engraçado. Quem não vai querer ser reencarnado, como um Ronaldinho?, Como uma Carla Perez ? Ou como um Pelé ? Pelo visto, a corrupção e o crime organizado, irão contaminar os escritórios celestiais, porque em se tratando de reencarnar no Brasil, o paraíso celestial como dizem por aí, (todos afirmam que DEUS é brasileiro), o passaporte deverá conter taxa de inflação , ágio , cpmf e outras cositas mais. Essa será a única forma de correção das distorções sociais aqui existentes, e a clonagem de seres será de um valor muito especial, pois ela já virá com almas embutidas e com características da nova tecnologia racial. Então, seremos felizes para sempre, pois vamos possuir uns duzentos mil Pelés, umas trezentas mil Carlas Perez, uns quinhentos mil Zecas Pagodinho e por aí afora. Teremos então, apenas uma única dificuldade. A necessidade de criação de um novo Detran, para emplacarmos, toda essa gente importante, que fará parte do novo milênio, terminando assim, definitivamente, com as diferenças de classes sociais. Só nos restará resolver um dilema: onde colocar a placa de cada um?: Na cabeça? No pé ? Ou na bunda ? !
(Jorge Queiroz - abril/2009)
Fonte da imagem:tratamientoycura.com

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Que miscelânea, meu Deus!


Vejo-me diante de um computador de 4a. Geração. Para mim um novo mundo! Retrocedendo em meu arquivo pessoal de memória , sinto-me na obrigação de compará-lo àqueles gigantes que faziam parte da tecnologia dos anos 60. Não sei se o avanço tecnológico trará ao homem de hoje mais satisfação em sua maneira de viver ou irá lhe despertar para o mundo do click. E como será fácil clicar aqui ou ali e, de repente, saber de tudo o que está acontecendo em qualquer parte do mundo. Mas , saber no ar , sentir as viagens via internet, os contatos imediatos do mundo da 4a. ou 5a. geração, trarão a nós, homens, a vantagem esperada. Onde então, irão residir os nossos interesses de alma? Será que, futuramente , nós , homens, quando ainda estivermos em pleno período de gestação nas barrigas de nossas mães, teremos que nos submeter aos novos tipos de conceitos que serão impostos pela futura medicina ginecológica? Será que irão implantar nos úteros das futuras mamães grávidas determinados tipos de elementos químicos já relacionados ao mundo futuro ? Será difícil então conviver com a medicina eletrônica que irá nos obrigar a tomarmos impulsos elétricos de meia em meia hora e a recarregar os nossos chips a cada novo dia..... Que mundo é esse seu Manual ? Com certeza seu Manual será, no futuro, o verdadeiro nome do sr. Manoel!!! Não fiquem vocês assustados com esta minha afirmação, porque quando eu era criança êste mesmo nome era também conhecido como maneca. Vamos deixar isso prá lá e achar que tudo acontece por obra do nosso grande DEUS. Se fizermos, no momento atual, uma observação mais profunda, vamos concluir que as coisas só acontecem nas horas certas. Todas as mudanças de vida em nosso planeta estão ganhando uma nova dimensão e acelerando novas definições e coincidentemente nos aproximamos de um novo milênio, por sinal aquele mesmo tão citado pelos salmos: “’de mil passarás, mas a dois, não chegarás”’... Na minha projeção, esta afirmação é verdadeira. As coisas se modificam e o homem, sem sentir, deixará de existir como representação da forma humana e ganhará a nova estrutura de raciocínio em tempo de máquina. Mas, que mundo é esse? O homem original, aquele mesmo das cavernas, vivia muito mais. Pois ele, não tinha automóvel, avião, navio, ultraleve, microondas, televisão , geladeira etc., etc., Em compensacão, tinha uma vida pura, em estreita relação com a natureza, alimentava-se corretamente, exercitava-se com naturalidade, sem seguir nenhuma orientação técnico-profissional. O homem do novo milênio, futuramente ao nascer, será entregue ao centro de preparo de vida terrena, onde os técnicos em projeções de vida futura, o irão colocar em cápsulas indevassáveis, que acionadas pelos controles eletrônicos, informarão o seu tipo físico e mental. Quais serão, então, as habilidades presentes naquele ser e os tipos de comandos e contatos eletrônicos que serão adaptados, para finalmente ganharem condição de ingressar no milênio assegredado do ano 2.000! Virão por certo, novos problemas, dos mais variáveis, como por exemplo : dirá a mulher do futuro: - hoje, eu terei que ir ao ginecologista implantar novos óvulos no útero , porque na próxima quinzena quero engravidar de uma menina tipo bhskl mod. 3450, ou entáo aquele senhor , já setentão,dirá:- marquei para a próxima semana uma visita ao urologista, pois estou necessitando injetar um aditivo na bolsa escrotal para dar mais agilidade aos meus espermatozóides, pois estou pretendendo ser pai de trigêmeos, ou ainda, aquele menino avoado que chegará até sua mãe e pedirá que ela lhe compre um novo carregador de idéias para que seja utilizado no semestre de volta as aulas... Que miscelânia, meu DEUS!!! Estaremos então, no falado fim do Mundo !!!
(Jorge Queiroz - abril/2009)
Fonte da imagem: dicascomprar.com.br

sábado, 23 de outubro de 2010

O RÓTULO PROTETOR



O Serviço Nacional de Fiscalização de Medicina goza de um respeito permanente e o objetivo da sua existência diz exatamente da sua necessária conduta.
Para nossa segurança será sempre aconselhável que ao comprarmos qualquer produto das áreas de alimentação ou medicamentos, tenhamos sempre o cuidado de ao examinar a sua embalagem, verificar na sua rotulagem as afirmações referentes aquela importante concessão de uso.
Assim, ficaremos protegidos pelas origens e garantias necessárias a todo tipo de segurança que para nós possam se fazer presentes e ali naquela rotulagem, estarão impressas as autorizações que virão através das siglas alfabéticas e do número correspondente ao referido licenciamento.
Considerando que atualmente temos o grande perigo de entrarmos pelo campo da tão falada ação da pirataria, a segurança industrial poderá através do rótulo, nos dar a segurança de fabricação.
Lembro e muito bem de quando atuei na indústria química e farmacêutica, na área de planejamento de produção.
Lá, eu sentia toda a necessidade de interferência maior, do Serviço Nacional de Fiscalização de Medicina, quando recebíamos mensalmente a visita de um fiscal que era para lá encaminhado dentro de uma diferente área de atuação, pois fabricação de remédios não é brincadeira. O mesmo se dirá da incrível fabricação de produtos de higiene e limpeza, que segue por caminho idêntico, com riscos de envenenamento, pois os ácidos e graxos, são de um perigo constante. No entanto, hoje em dia, para nosso perigo, grande número desses tais produtos, são fabricados em fundos de quintal e sem a devida fiscalização.
A honestidade de alguns comerciantes mostra-se duvidosa, fazendo com que eles se preocupem apenas com o lucro do seu negócio, jamais pensando na sua área de confiança de uso, às vezes virando parceiros daqueles que usam o fundo do quintal para arriscarem sua fabricação, mesmo que seja irregularmente.
Eu acho até, que uma nova medida caberia dentro desse assunto da segurança na saúde. Esse serviço de tanta importância, deveria fazer uma parceria com o povo, enviando aos fabricantes legais e que compõem essa responsabilidade de garantias, uma instrução obrigatória, de recomendar a população a forma de descobrir com mais facilidade, as maneiras corretas de se identificar os riscos condenáveis na utilização de produtos não fiscalizados pelo SNF.
Sabemos que existem alguns produtos, que contendo no seu rótulo o grau de acidez e o grau alcoólico, orientaria melhor os riscos à saúde.
(Jorge Queiroz - 13/10/10)
Fonte da imagem:produto.mercadolivre.com.br

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

O máximo do otimismo


Meu pai me contou que existia no interior de Pernambuco uma família de lavradores assentados, cuja prole era por demais desenvolvida e a todo momento, nascia uma nova criança, para o patriarca-chefe, que tinha como rótulo, o nome de Crescêncio da Vida no Campo.Era um homem forte, de muita fé, pouca cultura, muita saúde e dono da maior dose de otimismo.Segundo soube, buscava sempre novos motivos para dar o nome de batismo aos seus filhos, dentro dos seus preceitos de crença, para transferir a cada filho com otimismo, a nova vida que ali desabrochava.Ele era um cidadão muito conhecido e respeitado e observado pela maneira simples e sadia que avaliava a sua vida.Excelente trabalhador, homem de pulso forte, tinha por única distração, ouvir um pequeno rádio de pilha, para se atualizar com as notícias do campo e que por certo, reciclariam as novas alternativas do seu trabalho na agricultura.Só assim, acreditava, poderia enfrentar os males das doenças comuns, na sua pequena roça, pobre de recursos hídricos e sem nenhum apoio governamental.Era possuidor de uma prole altamente otimista, com nomes bem caracterizados.Mesmo não sendo conhecedor de numerologia, que hoje em dia, se faz presente na vida de muitos famosos artistas, empresários e políticos, o Crescêncio sabia aplicar os prognósticos da boa-sorte aos seus filhos,através dos nomes de batismo.À primogênita, chamou ESPERANÇA!,À segunda,CONQUISTA!,À terceira,SEGURANÇA!,À quarta,FLORESCIDA!,Ao quinto,CHUVISCO!,Ao sexto,BROTADO!,Ao sétimo,COLHIDO!,Ao oitavo,ENSACADO!,Ao nono, VENDIDO!,Ao décimo,COBRADO!,Ao décimo primeiro, RECEBIDO! eAo décimo segundo, DEPOSITADO!Fiquei surpreendido com o otimismo daquele brasileiro que teve esperança e usou todos os critérios de nomes,para que o levasse e aos filhos, ao sucesso no seu trabalho no campo.Acredito eu que nos dias de hoje, ele deve estar cercado apenas dos nomes otimistas do seus filhos, mas deve viver amargurado e preocupado, pois o nosso Governo destruiu o sonho dos otimistas, a esperança da conquista, a segurança florescida, o chuvisco do brotado, apodrecendo o colhido e ensacado, o vendido e não cobrado, e que do jeito que vai indo, nunca deverá ser depositado.Pobre homem, otimista, num país sem clima de conquistas, num país de governo do papofurado, que só faz com que pensemos em usar apenas a nossa preguiça.

(Jorge Queiroz- dezembro/2009)

Fonte da imagem:dannidistler.wordpress.com

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Crises, crises, saídas e saídas...


Crises, quem não as tem? Crises irritam, crises causam mal-estar, crises dão final às coisas estáveis, crises tiram o sono, crises nos tiram a saúde. E por que não buscar para cada crise, uma saída, será a maneira mais simples de matar uma crise, uma perfeita saída, que pode ser diplomática, política, duvidosa, perigosa ou até rancorosa. Vou comentar crises profissionais, pois as pessoais são confusas, e para cada crise pessoal, existe uma saída pessoal, e a saída pessoal é como as impressões digitais, é inimitável , tem reflexos de criação, de ambiente, de família, de cultura, de nível social e de objetivos. Eu tinha emprego estável, era o meu desafio profissional, segurava uma posição de destaque na empresa, comandava todo o movimento financeiro, em suma, a responsabilidade de um caixa de duzentos e cinquenta milhões de dólares. Meu patrão, um banqueiro e industrial europeu, calçado pela força financeira do seu aval pessoal, que lhe dava confiança de trazer dinheiro do exterior, no momento que ele quisesse,pois era muito conhecido internacionalmente. Infelizmente, uma crise no Brasil, fez com que o nosso governo, criasse pelo seu Banco Central, uma instrução normativa que impedia a sua flexibilidade, e que se algum empresário por que motivo fosse, trouxesse recursos do exterior, teria os mesmos bloqueados, e sua liberação só ocorreria num prazo mínimo de trinta a cento e vinte dias. Vale salientar que aquela instrução só trouxe irritação ao meio comercial e industrial brasileiro. Pensei então numa saída para facilitar os negócios do meu patrão ,já que ele queria trazer o dinheiro de fora e o governo lhe tirava tal possibilidade. Conversei com a diretoria de uma Financeira e mostrei o nosso dilema, por precisar do dinheiro, pois o BNDE, exigia que aumentássemos o capital da sociedade em oitenta e cinco milhões de dólares, conforme contrato de financiamento. Pensamos juntos e fizemos um novo financiamento encima da compra de sessenta vagões graneleiros, que já haviam sido financiados pela mesma financeira. Em garantia de tal financiamento pelo saldo de valor comercial conseguimos re- financiar, normalizando afinal, o tal aumento de capital, exigido pelo BNDE. Daí então, surgiu uma nova idéia e buscamos o caminho via negócios bancários no Paraguai, pois o câmbio entre aquela nação e o Brasil, era livre por ser um País latino. Meu patrão passou a trazer dólares, via Paraguai, sempre como pessoa física, transferindo em cruzeiros no Rio de Janeiro para um Banco brasileiro, na sua conta de pessoa física. Assim procedeu, até que a tal crise criada pela instrução normativa do Banco Central tivesse fim. Pude, naquela oportunidade, comprovar que crise se combate com saídas, e as saídas estão aí, só falta a nós sabermos utilizá-las.

(Jorge Queiroz - julho/2009)

Fonte da imagem:direitoeconomia.com

domingo, 17 de outubro de 2010

A APOSENTADORIA COMPULSORIA DA CARTEIRA DE HABILITAÇAO!


Temos que correr atrás das soluções mais rápidas e aquelas que envolvam a diminuição dos desastres de veículos.
Pelas placas exibidas nas estradas limitando a velocidade dos automóveis, dos ônibus e caminhões, com a colocação dos tacômetros, os acidentes já começaram a diminuir na nossa cidade, mas as estatísticas poderiam estar bem melhores.
Um dos motivos porque ainda não melhoraram, foi mostrado ontem na TV e bem mais grave, exibindo os guardas municipais levando propinas, em diferentes pontos da nossa cidade.
Os tais “guardetes” de trânsito, são as nossas verdadeiras e falsas autoridades públicas, filmadas, quando fingiam endireitar as suas meias, num banco de um determinado jardim, enquanto o motorista da infração, jogava o dinheiro na grama para que ele pegasse.
Pergunto a vocês de que adianta a lei seca funcionando, se a nossa polícia não faz o seu papel de fazer cumpri-la com autoridade?
Essa história do ato de entregar os documentos de habilitação, já com a nota dentro da carteira, é muito antigo, e de muito mal gosto. É um ato corruptor e muito corruptível.
Acredito que o nosso governo municipal e os nossos governantes deveriam também limitar por lei, a obtenção de carteira de habilitação até os 65 anos.
Considero um risco duplo para o idoso fazer uso dela e da futura vitima .
Isso, de mortes e acidentes causadas por pessoas idosas, poderia ser constatado se o Detran se dispusesse a fazer um levantamento estatístico.
O que observamos, cada vez mais, são pessoas de setenta anos ou mais, até dirigindo taxis, esquecendo que o envelhecimento físico e o estresse causado pelo trânsito da Cidade, são fatores mais do que importantes nessa avaliação.
Mesmo eu, com setenta e seis anos e com minha habilitação já inutilizada, corro esse risco ao me transportar, como ocorreu ontem, quando num taxi de uma empresa conceituada, fui conduzido por um motorista com oitenta e três anos e ainda por cima, hipertensivo.
Ali, durante o trajeto, não pude deixar de pensar que o desastre para o idoso será sempre uma presa fácil para a sua morte.
(Jorge Queiroz - 11 de outubro de 2010)
Fonte da imagem:robsonpiresxerife.com

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

A RESSUSCITAÇÃO NO DESERTO DE ATACAMA




O deserto de ATACAMA não é um deserto sub-desenvolvido, como estão descrevendo alguns jornalistas do mundo inteiro.
Nele e dentro da profundidade assustadora de seiscentos e trinta metros, deu-se um raro acontecimento de um soterramento, onde trinta e três mineiros de diferentes idades e experiências, se encontraram confinados e isso fez com que todos os olhares estivessem voltados para a América do Sul.
O ocorrido, pela sua magnitude, deu origem a maior expectativa mundial, em torno das notícias transmitidas ao vivo, onde o jornalismo competia ferozmente na apresentação dos furos de reportagem, que através dessa mídia trouxe para nós, uma nova forma de rever os conceitos de vida.
Todos sem exceção, ficamos mexidos e de orelhas em pé, desde o início desse mês de agosto, quando as manchetes dos jornais, mostraram-se assustadoras, quanto a vida futura desses mineiros.
Desde a retirada do primeiro, lá confinado, até o último a ser retirado, tudo vinha apontando para o sucesso daquela operação de resgate, provando que todos aqueles indivíduos, estavam dentro de um processo de ressuscitação, como ocorreu com o nosso Cristo crucificado, no extenso deserto do Monte das Oliveiras, depois de ser ali sepultado.
Agora, naquele famoso deserto chileno, saíram também os ressuscitados e os trinta e três, demonstraram a existência de Deus, representando um por um, cada ano da vida de Jesus.
Aqueles mineiros, ali soterrados estavam em busca da salvação para uma grande nação, em garantia do crescimento dos estoques de cobre e ouro, valores principais na história daquele país da América Latina.
Hoje, depois do sucesso da operação de resgate, numa dessas chamadas jornalísticas das rádios, classificaram o Chile, como sendo um país ainda sub-desenvolvido.
Considero essa afirmativa de puro mau gosto, tornando negativa a informação, pois para mim, o Chile é uma das maiores economias do PIB sul americano.
Dali, daquele deserto, já foram retirados trilhões de quilos de cobre, o melhor metal do equilíbrio das transmissões energéticas, como também, toneladas de ouro, o metal nobre que é dinheiro vivo em qualquer pais do mundo.
Atualmente as vias mais importantes de garantia dos extensos circuitos elétricos de todo mundo, são feitas com o cobre daquele pais produtor e fornecedor, favorecendo sempre o crescimento industrial mundial.
No meu entender, o Chile é uma das chaves de negócios mundial e depois da mostra de tanta tecnologia, me deixou esperançoso.
Vamos torcer para que o Brasil engate contratos de vinculações comerciais com o Chile, pois fará muito bem, em todos os sentidos, à futura produtividade brasileira.
(Jorge Queiroz - 14/10/10)
Fonte da imagem:bairrodoamor2.blogspot.com

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

O Petróleo, a nossa verdade antiga, que se moderniza e assusta !


Hoje eu acompanho nas rádios e jornais, e ainda complemento as minhas informações com imagens de televisão, e faço cumprir assim, toda a minha grande curiosidade.Não será necessário eu dizer que acredito em tudo o que vejo hoje despontando de uma terra rica e cheia de vitórias, que quando ainda atravessava a década de 1950, todos os brasileiros cruzavam as esquinas orgulhosos e se encaravam, num olho a olho firme e se mostravam vitoriosos das afirmações ditas pelo então Presidente da República, Getúlio Vargas.O Presidente em todos os seus discursos, não cansava de repetir em voz trêmula de emoção, que o Petróleo era nosso e que assim, ele podia garantir ao povo, de que aquele ano já despertava no brasileiro, no seu dia a dia de trabalho, um espírito de grande vencedor, e que sempre era transmitido de um para o outro, com um grande e positivo sorriso nos lábios e uma alegria constante, como se ele já fosse um habitante de um país do futuro, que havia sofrido todos os efeitos de uma guerra mundial, que nos trouxe a um racionamento de tudo,por mais de seis anos.Ao final daquela maldita guerra e somente após cinco anos, traria a nós, o otimismo e a esperança de que viria finalmente uma paz, com uma economia crescente, que já se fazia presente, em todos os campos do nosso grande litoral, fazendo com que o povo não se cansasse de exaltar e gritar que “O PETROLEO ERA NOSSO’’.Na época, eu ainda um menino, já me sentia vaidoso e esperançoso de que o nosso valoroso País, ficaria de pé junto as maiores potências mundiais. E hoje já do outro lado da montanha, eu tenho uma outra visão, aquela que é o desejo de todos os brasileiros, que vai ver agora a nossa riqueza aflorar vida afora, com os nossos descendentes e ascendentes, gozando de uma felicidade sem fim.No entanto, ouvindo na rádio C B N, o programa da analista política Lucia Hipólito, observei que politicamente temos muito a amadurecer.Estão plantando as barreiras do desentendimento entre as nossas figuras mais brilhantes da política e não devemos de forma nenhuma agora, discutir crescimento, nem tentar adivinhar qual dos nossos estados crescerá primeiro, se será o Rio ou São Paulo, se será Santa Catarina ou Rio Grande do Sul, ou se será Pernambuco ou Bahia.O importante não será discutir agora o que se fará, com ou sem perdas de tempo, para todos nós brasileiros, que não podemos e nem deveremos fazer injustiças.E eu me lembro bem de ter assistido um dia, no interior de Minas Gerais entre os Municípios de Santa Luzia, Lagoa Santa e Vespasiano uma briga muito engraçada às margens de um rio, que demarcava as fronteiras entre os aqueles municípios, cujos prefeitos brigavam e discutiam pela venda com ICMS, pois queriam os créditos para as suas cidades, uma vez que o cimento, ficaria pronto no município de Vespasiano, mas o minério para aquela fabricação, sairia dos outros Municípios, que não seriam os diretamente beneficiados pelo imposto devido.Diante daquele impasse não pensaram em outra coisa, a não ser em discutir o fato no Supremo Tribunal Federal. de Justiça.E agora estamos diante do Pré Sal da camada profunda do nosso Oceano Atlântico, e provavelmente teremos o mesmo problema, só espero que não venhamos a ter nenhuma ação em nosso Supremo..Mas eu como um leigo em extração de petróleo, ficarei sempre achando que o problema tem uma outra cara ou causa e que é muito mais que nos preocupemos com uma tecnologia na forma de extração.O que não podemos permitir é que as coisas do pré sal fiquem por isso mais salgadas ainda.

(Jorge Queiroz - fevereiro de 2010)

Fonte da imagem:fabiosfs.blogspot.com

terça-feira, 5 de outubro de 2010

A BOLSA DE MERCADO FUTURO DO MUNDO E SUAS COMMODITTIES


Vamos idealizar esse mercado da bolsa que tem hoje uma nova cara, e nos possibilita não ter a obrigação de aceitar o que é ditado.
Não podemos confundir, nem fazer tratados que tenham campos de diferentes envolvimentos e não podemos e nem devemos misturar o comércio do Urânio para a energia atômica, com acordos comerciais que envolvam a área produtiva básica de uma nação.
Existem ainda no nosso mundo, algumas posições políticas e idéias de usos e empregos desse tipo de energia e, sendo assim, os tratados devem ser feitos com a devida segurança nacional e mundial, pois mesmo que seja a nossa nação negociadora, uma super-potência ou ainda apenas uma nação emergente, que não busque o seu lugar no mundo externo, das grandes e perigosas negociações comerciais, dentro do perigoso mercado bélico.
Hoje, temos a grande necessidade de comungarmos dos mesmos desejos, pois o nosso universo se modificou e se não dermos as mãos uns aos outros, seremos derrotados e engolidos pelo restante do mundo, ainda mais que o meio ambiente nos obriga diariamente as novas formas de entendimento.
O uso da bomba atômica, na última guerra mundial, deixou bem claro que se ela não tivesse sido utilizada contra o nazismo de Hitler, a maioria dos nossos povos inocentes e desarmados, teriam sido destruídos rapidamente.
Ainda assim, sua utilização, causou erroneamente revoltas contrárias a política de guerra que era adotada pelos americanos, e eu, achei muito válido o uso da tão temida bomba, jogada como exemplo de providências, para o final da guerra, tanto em HIROSHIMA, como em NAGASAKI, o que provocou a total rendição das forças comandadas pelo nazismo e o fascismo.
Ainda me lembro, que passados aproximadamente uns dez anos da sua utilização na Segunda Guerra Mundial, a ONU, através de seus comandantes, enviou ao Brasil uma comissão para demonstrar a tal arma usada em prol do término daquela terrível guerra e eu fui um dos convidados para assistir a uma demonstração, daquele mesmo “salvador engenho”, num campo de provas de experiências da ESIE (Escola de Instrução Especializada do Exército), aqui no Rio de Janeiro.
Lá, naquele mesmo campo, estavam vários representantes-membros de nações da América Latina, com o intuito de avaliarem o poder destrutivo do explosivo energético da tal bomba.
Ao ser convocado naquele estádio cheio, com cerca de doze mil pessoas, para acender aquele pavio, fiquei perplexo, relembrando o seu fundamento destrutivo em duas cidades japonesas.
Mas aquela “maldita sorte” em ter sido sorteado para fazê-lo, acrescentou em mim uma nova expectativa, e renovou em mim, um temor da minha “era infanto-juvenil”, que eu ainda guardava dentro do meu peito desde maio de 1945, quando foram lançadas as bombas atômicas, nas ilhas japonesas.
Infelizmente, foi uma terrível violência, contra a vida humana, que jamais vamos querer de volta.
Por isso, no que diz respeito a energia nuclear que nos traga ajuda útil ao bem e paz da humanidade e que somente para esse fim possa ser utilizada!
Fonte da imagem: prismajr.wordpress.com