Lendo e ouvindo a música

Desenhos de Jorge Queiroz da Silva

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Mais um tipo inesquecível

Figura simpática, extrovertida, tipo diferente, o Sr. Humberto Cidade. Criativo homem de negócios, não conhecido nos meios sociais e raramente falado na Imprensa Brasileira, mas em compensação, o seu rastro de criatividade influi até hoje diretamente na vida de grande número de brasileiros, porque foi o criador dos Volantes para os sorteios de todos os jogos da Loteria implantados pela Caixa Econômica Federal desde a década de 1970. Conheci essa grande figura na década de 1980,quando me foi apresentado com a finalidade de negociar com o meu patrão. Seu objetivo era marcar uma reunião para mostrar um dossier, que envolvia a venda de uma Cidade inteira do Estado de Minas Gerais, cujos poderes eram dados por um Instrumento de Procuração, passado pela Prefeitura do Município de Mariana. Tinha conhecido o referido senhor somente há quinze dias e tinha sido o primeiro a contemplar o tal dossier , com muitas dúvidas se poderia confiar no que tinha visto. Ele representava o espelho de uma Cidade que seria instrumento de venda de uma Usina de Ouro, das Escolas, de todos os prédios públicos e até mesmo da própria Igreja com padre e tudo. Mas como homem já experiente, analisei friamente todos os documentos e passei ao Sr. Cidade a idéia de que a argumentação daquele encontro e a iniciativa ficaria totalmente a cargo do staff da nossa Empresa, por mais que o interesse de compra se manifestasse, pela inclusão da mina de ouro, o ponto crítico que por certo influenciaria na negociação. Uma vez que qualquer lusitano que se preza olha para o ouro com o olhar do nobre Cabral, o nosso descobridor, ainda assim, deixei bem claro, que o meu patrão não era ingênuo e jamais compraria gato por lebre. Finalmente o referido encontro aconteceu, e fiquei sabendo que o negócio era inviável, além de pasmo em saber que as providências de análise , perfeitas, constaram de um levantamento aero-fotográfico, de toda a região onde se situava a mina de ouro e que foi pesquisado todo o equipamento de extração e maquinário pesado, cujo laudo deixou bem claro que todo aquele complexo industrial, estava totalmente sucateado. Para complicar mais ainda qualquer possibilidade de negócio, ficou comprovado que toda a população da Cidade era de ex-empregados da Usina, e já credores, num processo de falência de milhares de ações trabalhistas que teriam movido contra a referida Usina de Ouro. Mesmo assim, continuei intrigado no aspecto de saber, o porque do envolvimento do Sr. Humberto Cidade, numa negociata desse tipo, pois era reconhecidamente um sujeito rico por receber direitos de autoria da Caixa Econômica Federal, de cerca de milhões, pela patente inventiva dos volantes de todos os jogos da loteria. Finalmente apurei que ele se apresentava como dono da referida Cidade, mas na verdade, era um simples procurador do Município e tinha se comprometido em juízo que liquidaria com os problemas que envolviam aquela região há mais de vinte anos. A Empresa não concretizou o negócio, mas conheci um negociante por demais interessante!

2 comentários:

  1. Diza e Jorge:
    Vi o vídeo lá no blog, mas não pude deixar comentário lá porque não está habilitada função de nome, então deixo o comentário aqui.
    Ficou muito bom!!! Diza já havia me faladao sobre este projeto do calendário. Ficou ótimo!!! A ideia foi legal!!! Parabéns aos dois!!!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Ana,
    Muito obrigado pelo seu elogio.
    Abraços,
    Jorge

    ResponderExcluir