Lendo e ouvindo a música

Desenhos de Jorge Queiroz da Silva

sábado, 23 de outubro de 2010

O RÓTULO PROTETOR



O Serviço Nacional de Fiscalização de Medicina goza de um respeito permanente e o objetivo da sua existência diz exatamente da sua necessária conduta.
Para nossa segurança será sempre aconselhável que ao comprarmos qualquer produto das áreas de alimentação ou medicamentos, tenhamos sempre o cuidado de ao examinar a sua embalagem, verificar na sua rotulagem as afirmações referentes aquela importante concessão de uso.
Assim, ficaremos protegidos pelas origens e garantias necessárias a todo tipo de segurança que para nós possam se fazer presentes e ali naquela rotulagem, estarão impressas as autorizações que virão através das siglas alfabéticas e do número correspondente ao referido licenciamento.
Considerando que atualmente temos o grande perigo de entrarmos pelo campo da tão falada ação da pirataria, a segurança industrial poderá através do rótulo, nos dar a segurança de fabricação.
Lembro e muito bem de quando atuei na indústria química e farmacêutica, na área de planejamento de produção.
Lá, eu sentia toda a necessidade de interferência maior, do Serviço Nacional de Fiscalização de Medicina, quando recebíamos mensalmente a visita de um fiscal que era para lá encaminhado dentro de uma diferente área de atuação, pois fabricação de remédios não é brincadeira. O mesmo se dirá da incrível fabricação de produtos de higiene e limpeza, que segue por caminho idêntico, com riscos de envenenamento, pois os ácidos e graxos, são de um perigo constante. No entanto, hoje em dia, para nosso perigo, grande número desses tais produtos, são fabricados em fundos de quintal e sem a devida fiscalização.
A honestidade de alguns comerciantes mostra-se duvidosa, fazendo com que eles se preocupem apenas com o lucro do seu negócio, jamais pensando na sua área de confiança de uso, às vezes virando parceiros daqueles que usam o fundo do quintal para arriscarem sua fabricação, mesmo que seja irregularmente.
Eu acho até, que uma nova medida caberia dentro desse assunto da segurança na saúde. Esse serviço de tanta importância, deveria fazer uma parceria com o povo, enviando aos fabricantes legais e que compõem essa responsabilidade de garantias, uma instrução obrigatória, de recomendar a população a forma de descobrir com mais facilidade, as maneiras corretas de se identificar os riscos condenáveis na utilização de produtos não fiscalizados pelo SNF.
Sabemos que existem alguns produtos, que contendo no seu rótulo o grau de acidez e o grau alcoólico, orientaria melhor os riscos à saúde.
(Jorge Queiroz - 13/10/10)
Fonte da imagem:produto.mercadolivre.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário