Lendo e ouvindo a música

Desenhos de Jorge Queiroz da Silva

sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

O “O JORNAL”, um periódico que não sobreviveu às pressões da queda da ditadura de VARGAS.


Falo aqui de um grande Jornal que, durante muitos anos, foi olhado pelo povo com grande simpatia.
Tinha leitores expressivos a cada novo final de semana, participava da vida pública e social do Estado do Rio de Janeiro.
Quem não se lembra do famoso O JORNAL, que nos dava boa leitura e entretenimento, mas por ser o diário que se fazia sempre presente nas lutas do nosso povo, foi eliminado e tirado de circulação, por ocasião da revolução de 1964.
Ainda me lembro bem, que por ocasião do nascimento do meu filho mais velho, eu acompanhava com fotos o seu crescimento.
As fotos, naquela época, há uns cinqüenta anos atrás, não eram de boa qualidade.
Devido a diversidade daquele jornal, num determinado dia, eu fiz um pedido a uma de suas colunas especializadas no assunto, que exibia fotos de crianças a cada final de semana, para colocar a foto do meu filho.
Como me foi solicitado, enviei uma foto dele, tirada aos oito meses, totalmente despido, aproveitando a “frescata do verão carioca”.
Como aquela fotografia, era filha única de uma edição, disputada “a tapas” pelos avós, o fato de eu tê-la mandado para o jornal, gerou uma desagradável discussão em família, pois não tive nenhuma manifestação confirmada pela seção do jornal, onde deveria sair publicada a tal foto.
Minha sogra, que alegava que eu era muito exibido, firmava com bastante convicção, que eu perderia a foto do seu neto.
Lembro-me que diante de tanta polêmica, pude mostrar para ela que o departamento de redação daquele tão importante diário, após meu contato com o redator chefe do jornal, atendeu o meu pedido.
Na semana seguinte, a foto do meu filho foi publicada e eu, vitorioso, pude adquirir dez exemplares e levar bem contente para toda a família.
(Jorge Queiroz - março/2010)
Fonte da imagem:blogdodepaula.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário