Lendo e ouvindo a música

Desenhos de Jorge Queiroz da Silva

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Coisas curiosas que nos assustam

Quando trabalhei na Indústria farmacêutica, mais precisamente num laboratório nacional, na década de 1960, era Chefe do Planejamento e Controle da Produção.Fui inteiramente tomado pela curiosidade, quando recebi da Diretoria Comercial, a informação de que tínhamos que programar uma fabricação de mil caixas especiais para exportação de dois tipos diferentes de nossos produtos; o primeiro deles, um xarope, remédio para tosse e bronquite e o segundo, um tônico à base de vinho que era receitado como revitalizador de memória.O que me chamou a atenção, foi o porque da apresentação dos produtos em embalagens de litros. Não me contive e perguntei o porque. Obtive a resposta de que aqueles produtos seriam exportados para a Holanda e para a Bélgica e lá, seriam vendidos nos bares e nas Casas de Shows na linha de drinks. Que barbaridade! E como justificativa, só pude imaginar, o consumo daqueles remédios em bares, pelo alto grau do seu ph de mais ou menos 45 graus, na sua acidez. Assim, passei então, a atender o tal preparo da exportação, imaginando que, Belgas e Holandeses deviam tomar altos porres de remédios.Na realidade, um xarope de fórmula original de nossos indígenas, que sabiamente se utilizaram de ervas de excelente valor terapêutico para cura de estados gripais e limpeza dos brônquios.Esses medicamentos, que tinham mais de cinquenta anos de uso freqüente eram receitados por inúmeros médicos especializados nesse tipo de tratamento, assim como também o tônico, que era bem aplicado como um fortificante inteiramente próprio para as doenças de perda de apetite e auxílio direto na melhoria dos problemas de memória.E esse fato só me trouxe alegrias de ser brasileiro, conhecendo pela estranha encomenda, um mercado novo, que aumentaria todos os projetos futuros de trocas de alguns produtos de origem francesa.
Isso criou, naquela época, os novos conceitos de comercialização, de grande valia para a nossa cultura de novas aplicações, na área química e farmacêutica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário