Lendo e ouvindo a música

Desenhos de Jorge Queiroz da Silva

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Dia 08 de março : mais um dia do maior degrau da vida - uma mulher !

Um degrau em nossas vidas não é uma simples plataforma ou mesmo um trampolim que nos levará ao cume das nossas idéias.
Eu tenho assim toda a certeza de que a verdadeira formação na vida de cada um de nós, vem do cuidado, do zelo esmerado de nossas mães, que temperam tudo com muito carinho e com toda a sabedoria, suprindo todos os nossos anseios, sejam eles espirituais ou materiais.
Por isso, elas são indicadas para que sejam imprescindíveis ao encaminhamento seguro da vida de seus filhos.
E muito importante que venhamos a comemorar o Dia Internacional desses seres, as mães, que mundialmente, tem o seu dia repetido em nossos pensamentos e em nossas comemorações mais íntimas, por todas as palavras ditas e repetidas, quase que diariamente, aos ouvidos de seus amados filhos.
Quero assim, lembrando da história da minha vida, homenagear por esse dia, todas as mulheres importantes pelos seus exemplos e palavras, que tiveram as maiores influências na formatação de todos os meus principais passos na execução e na busca dos meus objetivos .
Passo a listar nas linhas seguintes, todas as emoções e dúvidas que me envolveram desde os meus tempos de criança, enumerando a presença de várias mulheres, que pesaram diretamente na minha educação e também que, internacionalmente, afetaram a vida de muitos.
Começo, citando a paz da palavra de real expressão dos conselhos da minha doce e maravilhosa mãe, a sempre lembrada e amada “Mancinha”.
Minha mãe de nome Hermance, apelidada Mancinha, tinha no seu nome a origem francesa, pois um seu tio avô, que viveu na França, no Consulado do Brasil, escolheu para ela esse nome. Mancinha tinha oito irmãos homens, que a protegiam, pois era a única mulher na família. Desde os oito anos, mostrando uma maturidade alheia à época, Mancinha prestava ajuda em âmbito familiar, haja vista que residia na casa do seu irmão mais velho, já casado e com filhos. Nunca sentiu dificuldades em aprender coisas diferentes e válidas para seu aprimoramento.
Casou com quatorze anos, e aos quinze já era minha mãe.
Logo nos primeiros anos, mostrou que valorizava os conselhos que havia recebido para ser assim uma jovem mãe e excelente educadora .
Usava muito, na sua forma de ensinar, um tipo sábio de aprendizado, através de ditados que me eram passados ao longo da minha vida.... O primeiro dos seus conselhos eu nunca esqueci – “ meu filho, criança não escuta a conversa dos mais velhos”.
O seguinte foi: -“ meu filho, seu pai trabalha muito e precisa sempre descansar”.
Passou a vida me educando com simplicidade, repetindo, um a um, os principais ditados importantes : -meu filho, ajude a mamãe, que ela não é burro de carga..., aprenda a cuidar da sua roupa, porque custa caro....,ao sair à rua, quando for atravessar, sempre olhe de um lado para o outro..., meu filho, nunca minta é feio e Papai do Céu não gosta..., meu filho, a mentira tem perna curta...não adianta tentar me enganar..., meu filho, ao se encontrar com um mendigo, observe se ele cheira mal e se assim for, não chegue perto...meu filho, aprenda a esperar, pois quem espera sempre alcança.....meu filho, a eternidade esta lá no Céu....meu filho, fique atento, e apontando para os seus olhos dizia, este é irmão deste...., e este não engana este..., e na mesa do café dizia..meu filho, não tem manteiga, mas pense nela e sentirá o seu gostinho..., meu filho, devagar sempre é pressa também...,meu filho, sonhar não custa nada, sonhe e aguarde...., meu filho, ao sair, diga sempre onde vai, porque eu vou conferir...,meu filho, não ande na beirada da rua, a calçada tem mais de dois metros de largura ...., meu filho, seja sempre um valente covarde, pois terá uma vida eterna..., meu filho, quando cresceres não te cases com mulher de pé feio, pois pé feio é do diabo...., meu filho, dinheiro só faz falta a quem precisa dele, não seja olho grande, você tem tudo....,meu filho, seja um pobre mas de barriga cheia, numa casa nunca deve faltar comida....
E com estes conselhos, que eu recebi de minha mãe, eu quero concluir, relacionando o nome de todas as mulheres que tiveram grande e importante peso em minha vida: - a minha primeira professora, Elvira, aquela das primeiras letras, a dona Brasilina, a do Hino Nacional Brasileiro, a das sete notas musicais e a sua imponência em solfejar, a madame Dutell, das aulas de francês, que tinha bons méritos em castigar, para ensinar.
Além dessas, as minhas tias de aluguel; - minha tia Dudu, pelos seus doces campistas, minha tia Emilia por me exibir que a vida também era um luxo como ela, pra se vestir; minha tia Ormenzinda, que na rua onde eu morava, era a defensora da paz, fazendo da sua vassoura, uma grande e temida arma em prol da disciplina.
Hoje, Dia Internacional das Mulheres, eu tenho o prazer de eleger as pessoas que são as mais importantes na fiscalização do meu bem-estar.
Nesse dia especial, não posso deixar de citar a minha amada mulher Adir, responsável pelo meu bem-estar seguro e consciente, responsável pelo meu otimismo e pela minha felicidade diária na busca por motivos reais de vida.
Cito também, minha cunhada, a minha médica Alba, que sempre me assegura que o nosso modo de viver é que dá o resultado da mistura clinica de uma nova cura.
Utiliza a numerologia e nos protege com um olhar periférico.
Segura e otimista, fiscaliza um sem-número de pacientes, que apreciam o seu jeito profissional de ser, pois quando a procuramos no leste ela já esta no oeste e quando pensamos no norte, ela já foi para o sul e já está retornando, sempre buscando um novo horizonte, que visa o bem-estar de alguém, um bem-estar comum a todos.
Por isso, concluo dando viva às mulheres.
Não podemos deixar de observar que o dia das mulheres se comemora no dia 8. Coincidentemente, se colocarmos esse número na horizontal, representará o sinal do infinito, provando a real condição das mulheres em nossas vidas... infinitamente....
Parabéns, mulheres !!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário