Lendo e ouvindo a música

Desenhos de Jorge Queiroz da Silva

domingo, 12 de agosto de 2012

Vida, sempre um caminho crítico



O ideal de nossas vidas, seria sempre o de nunca pensar nela.
E desde o seu início, fazer de tudo para somente vivê-la sem nunca esquecermos, que o caminho crítico da vida será sempre o mais importante.
E qualquer que seja a nossa ambição, ou a nossa busca, devemos pensar que o chamado destino existe!
Assim como as pedras, todas as coisas da nossa vida irão se encontrar, sempre no leito dos nossos rios e caminhos, ou em qualquer dos nossos afluentes de vida, que regem os passos da nossa ingerência, que formam a grande bacia terrestre do saber viver.
Mas, é sempre muito difícil viver... e não caberia a nós isoladamente, marcarmos os nossos caminhos de vida, pois ela será sempre como um gráfico de PERT tempo, onde todos os passos de um projeto são marcados pela tecnologia da engenharia moderna.
Essa mesma engenharia que fez o homem se preparar um dia, quando imaginou que poderia também conquistar o UNIVERSO.
Formulou essa idéia,de que num dia pudesse estar determinado a construção da primeira nave espacial, e que poderia levar em seu bojo, os astronautas das primeiras investigações de vida , a um desconhecido mundo extra-terrestre.
Mas, se pensarmos bem , nós já nascemos astronautas, e chegamos ao mundo na chamada “NAVE UTERINA”, no corpo de um foguete situado, em um casulo que fora tecido no ventre da nossa nave mãe.
Depois de uma longa viagem de nove meses, onde tentamos nos acostumar a todas as turbulências, somente depois de nascido, vamos ter conhecimento, de que iremos passar desse grande e primeiro estágio de vida embrionária, para uma vida de futuras novas descobertas.
Por certo nesse período desses 270 dias, dessa viagem uterina, estaríamos normalmente pressionados, dentro dessa cabine humana indevassável da nossa nave mãe, também chamada tecnicamente pelos ginecologistas de ambiente uterino.
Ainda que protegidos também por uma placenta, que na minha observação, se bem comparada, representa uma roupa espacial, usada normalmente pelos astronautas, nessa nossa primeira viagem interplanetária,onde vamos estar também protegidos por líquidos e por gazes pressurizantes, e ainda também as vezes ameaçados, pelo perigo da ingestão de alguns remédios ou aditivos, pela nossa nave mãe,no processo de acompanhamento médico, para nossa defesa em estado embrionário e pré-natal ou que por falta de cuidado ou desconhecimento técnico da nossa nave mãe, que ainda inexperiente, e que em determinados momentos da sua gravidez, esquece a responsabilidade de estar ali naquele momento pilotando uma nave espacial, e que transporta em seu corpo um futuro astronauta.
Esse pequeno astronauta que faz a sua primeira viagem de exploração, ao mais novo planeta, a TERRA.
A nave mãe, inocentemente ignora os cuidados a serem destinados àquele pequenino ser, um novo “ASTROTERRA”, que virá com certeza para habitar o nosso planeta, o primeiro que conhecemos, e quem sabe até então, possa ser o mais importante de todos os outros planetas que nós poderemos tomar conhecimento, na escala planetária Universal.
Assim sendo, ao ingressarmos num mundo exterior, onde sem nenhuma dúvida, vamos tentar esclarecer os motivos que nos fizeram aqui chegar, e que iniciaremos passo a passo, a pesquisar pela curiosidade que normalmente habita dentro de todo ser humano - os caminhos e as novas descobertas - ficaremos sabendo que a velha eternidade muito comentada começará a ficar compreensível.
E assim iremos com certeza reencarnar, seja em qualquer um outro lugar, que somente será apontado pelos desígnios de “DEUS”.
(Jorge Queiroz - novembro/2009)
Fonte da imagem : beatelles.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário