Lendo e ouvindo a música

Desenhos de Jorge Queiroz da Silva

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

O seguro das nossas vidas começa na nossa cozinha

Tenho comigo um compromisso em lembrar sempre de quando fui empregado na área de fabricação de remédios e cuidados pessoais.
Lá, vivendo a fabricação de sabonetes, perfumarias, talcos, loções e cremes nutritivos de ações dermatológicas, entre tantos outros produtos, tive um aprendizado no dia a dia, de muitos cuidados.
Sempre achei que as empresas do ramo, deveriam alongar alguns ensinamentos para o nosso povo consumidor que, por falta de esclarecimentos, os utilizam de maneira perigosa e fora das faixas de segurança.
Acho que se esses fabricantes tivessem o cuidado de inserirem, em suas embalagens, alertas e avisos como fortalecimento às instruções do seu consumo, nós teríamos o nosso país com menos atuação nas áreas hospitalares e nas áreas de socorro médico.
Não quero aqui me apresentar como um chato, mas o nosso governo deveria enquadrar o nosso departamento de fiscalização de medicina, para se preparar para nesse nosso ritmo de crescimento,e termos garantias de poder vender dentro e fora do Brasil, com muita segurança, e sem o problema de ações extra-judiciais.
Para afirmar esse meu conceito de proteção, vou exemplificar a minha tomada de posição.
Quando eu dirigia e analisava as fabricações de sabões e sabonetes, cremes dental e colírios, eu assistia o nosso químico-chefe responsável, fazer os testes finais de grau de acidez, apenas usando sempre uma gota de um determinado reagente.
Eu perguntava pra’ ele que reagente era aquele e ele dizia ser a fenolfetaleina que pingando uma gota no sabão já pronto, a cor rosa forte, já dizia se o produto estava muito ácido e podia ou não, queimar a nossa pele.
Assim como aquele reagente, todos os produtos devem ter o seu reagente próprio, que poderia estar contido numa embalagem inicial de compra.
Bastaria que o governo entrasse nessa organização e fizesse o trabalho junto ao SAC daquelas empresas que lidam com a higiene e a saúde do povo.
Já está chegando o dia de exercitarmos a nossa segurança alimentar.
Vem aí o dia de Natal, e poderemos nesse dia, verificar que a bactéria da salmonela sempre pode se fazer presente no famoso prato desse dia, o nosso delicioso bacalhau.
E para descobrirmos a presença dessa bactéria, só seria preciso olharmos o fundo do mesmo, ou seja a parte de baixo do bacalhau e observar se ele tem em seu corpo, a presença de alguns pontinhos vermelhos. Se tal presença for constatada, atestaremos com certeza, a contaminação.
Um outro alimento onde verificamos facilmente esse risco são os palmitos, que sempre devemos comprar em embalagem de vidro no lugar de comprá-lo em latas, porque ao virarmos o vidro de cabeça para baixo, estaremos também constatando ou não, a presença dessa bactéria perigosa.
Só assim, com essa observação e a ajuda do governo, poderemos garantir a compra perfeita e a saúde da família.

Nenhum comentário:

Postar um comentário