Lendo e ouvindo a música

Desenhos de Jorge Queiroz da Silva

quarta-feira, 27 de junho de 2012

O Dr. Milton Costa Lentz Cesar, de novo !

Falando ainda do Dr.Milton Costa Lentz Cesar, relato aqui que num determinado dia, eu me sentia muito vaidoso, por ter no meu convívio diário, esse ser humano de tamanha expressão.
Estava eu, junto com os supervisores e auxiliares do almoxarifado, concentrados em poder estabelecer uma nova regra nos depósitos de matérias primas e de materiais diversos,estabelecendo uma nova forma de armazenar os diferentes tipos de embalagens da linha de produtos de perfumaria e higiene pessoal.
No entanto, quando eu pensava que estava estabelecendo um novo critério, que por certo traria mais proteção e durabilidade às embalagens em caixas de diferentes tamanhos, foi aí, que eu pude dentro do meu instinto de observação, sentir que seria mais econômico para a empresa, inverter a posição de arrumação dos cartuchos de vidros de perfumes, que tinham tamanhos diferentes, como o GM (grande modelo), o MM ( médio modelo) e finalmente o de maior venda, o pequeno modelo o tamanho PM.
Eu havia dado ordem aos auxiliares para colocarem os de tamanho pequeno, que por sinal eram os de maior saída em nossas vendas, na parte de cima de cada prateleira, o de formato médio ficaria nas faixas intermediárias da prateleira e, finalmente, na parte de baixo junto ao chão, ficariam, os de tamanho grande, pois demoravam mais na programação de fabricação, haja vista que vendiam pouco por serem de preços mais altos.
Naquele exato momento de decisão, entrou sùbitamente pela porta do depósito, o admirável Dr. Milton e me interrogou com seu jeito peculiar, sobre aquelas mudanças.
Afirmei que estava fazendo um novo tipo de arrumação nas prateleiras, ao que ele me contra-atacou dizendo que a minha arrumação era burra.
Insistia que eu estava orientando a disposição errada, pois o tamanho GM, vendia menos do que os outros e estava colocado na parte de baixo e que iríamos gastar muito em mão de obra para execução de uma ordem de serviço do tamanho PM que eu havia mudado para cima, pois tinha muita produção e teríamos que subir duas prateleiras para pegar os pacotes.
Mostrando ter aprendido todas as lições que ele havia me ensinado, firmei que estava fazendo uma excelente economia, pois quando eu deixava junto ao calor do sol, no teto do depósito, os cartuchos de embalagem que tinham maior rotatividade de fabricação, eles nunca teriam tempo suficiente, para queimarem. Tirei da gaveta, quase que de supetão, amostras de embalagens descoradas e lhe apresentei como justificativa para as mudanças promovidas.
Admirado, aceitou minha atuação, ao tempo em que me parabenizou.
Senti-me naquele momento, muito feliz por ter contestado aquela pessoa que, para mim, representava o maior senso de sabedoria em administração.

Jorge Queiroz da Silva - agosto/2009)

Nenhum comentário:

Postar um comentário