Lendo e ouvindo a música

Desenhos de Jorge Queiroz da Silva

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

UM FORMATO ANTIGO BRASILEIRO COMBATIA A TUBERCULOSE COM EFICIÊNCIA

Muito me incomodava o fato de, ao verificar os estoques de “hidrazinon” nos almoxarifados de medicamentos, constatar que aquela poderosa arma no combate à tuberculose, não apresentava as saídas compatíveis com a sua importância. Considerando que desde o início do século essa doença era devastadora, não se podia entender, o baixo uso da medicação descoberta para eliminar seu mal. Um dia quando eu adentrava o almoxarifado acompanhado do Diretor Industrial, o Dr. Thamyres de Santa Isabel Protásio, minha revolta veio à tona , me fazendo indagar dele o porque que ainda se fabricava tal medicamento, haja vista que permanecia nas prateleiras por meses a fio, principalmente pelo seu alto preço. Sabiamente, o Dr. Thamyres me respondeu que além de resistente ao tempo, o Hidrazinon seria no futuro, o sucesso da medicina mundial porque seria empregado na cura de doenças que ainda iriam surgir. Frisava que seu alto preço se devia a sua forma peculiar de extração das substâncias componentes. Hoje, passados mais de quarenta anos, constato que aquele homem estudioso tinha total razão, porque vejo que aquele componente integra o coquetel para tratamento da AIDS e só ele veio proporcionar uma qualidade de vida física melhor para o aidético, tendo com essa doença o mesmo êxito verificado na tuberculose. Lembro que aquele profissional, hoje já falecido, foi um grande estudioso, que trabalhava com segurança e afinco, silenciosamente, visando proporcionar à humanidade formas de vivenciar hoje, com mais sucesso, doenças para as quais naquela época não havia cura. O fato relatado me veio à mente, quando eu, recentemente li nos jornais que o Presidente Lula estava implantando na África, uma fábrica para fabricação do coquetel para a AIDS. Vejam vocês, na época de sua fabricação, o hidrazinon, devido ao seu alto valor para consumo, não podia sequer ser adquirido pelos brasileiros menos abastados e hoje, o Presidente do Brasil, ajuda a construir uma fábrica fora, para fabricação desse mesmo medicamento, para beneficiar outros povos.

(Jorge Queiroz, 13/12/10, em ditado)

Fonte da imagem:mesazsaude.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário